• (75) 3621-5547
  • labmartinssampaio@hotmail.com

Laboratório Martins

Gripe H1N1 pode ser perigosa na gravidez

Gripe H1N1 pode ser perigosa na gravidez
A gripe H1N1 aumenta o risco de pneumonia e insuficiência respiratória, podendo causar o parto prematuro ou a morte na gravidez, por isso as grávidas devem ter um cuidado redobrado nas medidas de prevenção do vírus e tomar a vacina após o 3º mês de gestação.

A vacina diminui o risco de contaminação e atenua seus sintomas, mas não impede que a infecção ocorra. Por isso, as grávidas que tenham sido vacinadas ao manifestarem sintomas de gripe como febre, tosse e dor de garganta devem comunicar seu médico para uma avaliação imediata.

 

Sintomas da H1N1 na gravidez

Os sintomas são os mesmos da gripe comum, mas mais intensos, e incluem febre alta, dor de cabeça, dor de garganta, mal-estar e algumas mulheres relatam vômito e diarreia. Tosse e dores no corpo também costumam estar presentes.

Para diferenciar estes sintomas dos que ocorrem na gripe comum deve-se levar em consideração a época de surtos ou epidemias, se as pessoas próximas também estão infectadas com este vírus e também a intensidade dos sintomas, que a na H1N1 são bem mais intensos e dificultam as tarefas diárias, sendo difícil trabalhar ou estudar, necessitando de repouso absoluto.

Sinais de alerta para ir ao médico

São sinais de alerta:

  • Dificuldade para respirar;
  • Sensação de falta de ar;
  • Catarro com vestígios de sangue;
  • Pontas dos dedos arroxeadas ou lábios azulados;
  • Diminuição dos movimentos fetais.

Se surgir dificuldade para respirar e a febre não ceder com o uso de medicamentos como Paracetamol deve-se ir ao hospital imediatamente. O médico poderá solicitar exames de sangue, raio-x do pulmão e ultrassonografia para verificar se há pneumonia ou outras complicações respiratórias, e se o bebê está bem.

Como é o Tratamento da Gripe H1N1 na gravidez

O tratamento é exatamente o mesmo que fora dela, com o uso de medicamentos como o Tamiflu, que deve ser indicado pelo obstetra após a avaliação do risco/benefício.

É muito importante que a grávida procure o médico ou vá ao posto de saúde nas primeiras 48 horas do início dos sintomas, pois é cientificamente comprovado que o Tamiflu é mais eficaz quando é tomado nos primeiros sinais da gripe H1N1.

Por terem um risco aumentado de parto prematuro, as gestantes devem ir ao hospital e se estiverem no final da gravidez, podem ter que permanecer internadas até a cura da doença.